PROJETO PLANTIO SOLIDÁRIO “JOÃO DE DEUS MARTINS”

A Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP), como entidade cultural, literária e científica de grande expressão na formação das pessoas, considerando a crescente degradação ambiental e poluição dos rios do município de Peri-Mirim, como forma de colaborar com a preservação do meio ambiente, o presente projeto busca atuar no plantio de árvores nativas em áreas de degradação ambiental e preservação das espécies ainda existentes.

O Projeto Plantio Solidário “João de Deus Martins” trata-se de uma ação que tem como objetivo repovoar áreas que tiveram a vegetação removida por força da natureza ou pela ação humana – exploração de madeira, expansão de ambiente para agropecuária, queimadas, entre outros.

O projeto é interdisciplinar, e envolve a comunidade, as escolas municipais e jovens do município que receberão orientações acerca da importância de se preservar o meio ambiente, bem como realizar o monitoramento das ações de preservação que serão criadas.

Leia o Projeto na íntegra no link: PROJETO PLANTIO SOLIDÁRIO

PLANTIO SOLIDÁRIO: Pau-Brasil de Helena Ribeiro

Autora Alda Ribeiro

O primeira etapa do projeto Plantio Solidário “João de Deus Martins” da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) tem como finalidade conscientizar cada acadêmico a plantar uma árvore duradora em homenagem ao seu patrono.

Acadêmica: Alda Regina Ribeiro Corrêa – cadeira n° 17

Patrona: Helena Ribeiro Corrêa

Planta escolhida: Pau-Brasil

Nome científicoPaubrasilia echinata

Pau-Brasil também chamado de arabutã, é uma árvore nativa das florestas tropicais brasileiras, presente no bioma mata atlântica. A espécie foi a primeira madeira a ser considerada lei no Brasil.

Desafio do Projeto: Recebi  a missão de homenagear minha patronesse, plantando uma árvore, missão esta que foi uma honra executar, visto que a patronesse é minha mãe, Helena Ribeiro Corrêa foi um exemplo de mulher, esposa, mãe e de profissional da educação, embora enfrentando lutas, sempre se mostrou forte, razão pela qual, escolhi a referida planta.

A muda do Pau Brasil, foi plantada no dia 16 de março de 2020, no terreno da residência de Ivaldo Ribeiro Lima, sobrinho da patronesse. A planta foi doação da amiga da ALCAP, Ana Cléres Santos, proprietária do Sítio Boa Vista em Peri-Mirim.

PLANTIO SOLIDÁRIO: Pau-brasil de Nazaré Serra

A Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) lançou no dia 29/02/2020 um projeto intitulado: Plantio SolidárioJoão de Deus Martins”. A primeira etapa do projeto prevê que cada membro da ALCAP deverá plantar uma árvore duradoura em homenagear ao seu patrono.

Para representar Maria de Nazaré Serra Maia, patrona da Cadeira nº 10 da ALCAP, ocupada pela acadêmica Nani Sebastiana Pereira da Silva, foi escolhida a árvore Pau Brasil (Caesalpinia echinata).

Caesalpinia echinataA planta adulta apresenta espinhos no tronco e nos ramos; folhas de notável valor ornamental devido à coloração verde intensa e brilhante, muito ramificada; flores muito perfumadas, de cor amarela com uma das pétalas diferenciada no formato e com uma mancha vermelha intensa ou escuro-avermelhada no centro. A resina da árvore possui uma intensa cor avermelhada.Os frutos apresentam abertura explosiva jogando as sementes a longa distância.

A Literatura registra que o pau-brasil é uma árvore originária do Brasil, que ocorre na zona da Mata Atlântica, especialmente na região nordeste do Brasil. Foi a descoberta da existência desta espécie que deu origem ao nome do país, depois da chegada dos navegadores portugueses no Brasil. Inicialmente o nome dado ao país foi Terra Brasilis, sendo depois modificado para Brasil.

A muda de pau-brasil foi plantada em 20 de março de 2020 no quintal da Acadêmica Nani. A referida muda é originária do Sítio Boa Vista em Peri-Mirim.

flor pb

PLANTIO SOLIDÁRIO: Baobá de João de Deus Martins

A Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) lançou no dia 29/02/2020 um projeto intitulado: Plantio SolidárioJoão de Deus Martins”. A primeira etapa do projeto prevê que cada membro da ALCAP deverá plantar uma árvore duradoura em homenagear ao seu patrono.

Para representar o patrono da Cadeira 12 da ALCAP, ocupada pela acadêmica Ana Creusa Martins dos Santos, foi escolhida a árvore Baobá (Adansonia digitata), cuja muda foi adquirida em São Paulo, pois, o único exemplar na Baixada Maranhense que se tem notícia está em São Vicente Férrer. Foi tentada, sem êxito, a germinação das sementes do Baobá pela equipe do Dr. Gusmão Araújo, professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual do Maranhão.

O baobá é uma árvore que fascina povos de todo o mundo, no Brasil ela tem uma forte relação com a religiosidade do povo, sobretudo o de matriz africana. É a árvore-símbolo do livro “O Pequeno Príncipe” que foi escolhido como a primeira obra do Projeto Clube de Leitura da ALCAP.

João de Deus Martins deixou um grande legado de amor à natureza, inspirando seus descendentes como Maria Isabel Martins Nunes, Maria Amélia, Terezinha Nunes Pereira, Ana Cléres, e tantos outros, que cultivam belos jardins e pomares.

A muda de baobá foi plantada no Sítio Boa Vista em Peri-Mirim, no dia 02 de março de 2020.  Estima-se que  daqui a 15 anos os primeiros frutos possam ser saboreados.

Estiveram presentes ao ato de plantio, os amigos: Zeca, Tozinho Sodré e Sargento César; a neta de João de Deus, Maria Amélia e as bisnetas Ana Creusa e Ana Cléres.

Vídeos do plantio:  Tozinho Sodré; Zeca

Foto da muda em 02.09.2020

 

PLANTIO SOLIDÁRIO: Ipê Rosa de João Garcia Furtado

A Academia de Letras Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) lançou um projeto intitulado: Plantio SolidárioJoão de Deus Martins”. A primeira etapa do projeto prevê que cada membro da ALCAP deverá plantar uma árvore para homenagear o seu patrono.

Em entrevista aos familiares de João Garcia Furtado, patrono da Cadeira 26, ocupada por Diêgo Nunes Boaes, a irmã mais nova do mestres, Inês Garcia Furtado falou que Ipê Rosa era uma das árvores que seu irmão mais gostava e apreciava por sua grande beleza. Por coincidência ela tinha um pé em seu quintal e, de imediato, procedeu a doação.

O Ipê Rosa, Tabebuia impetiginosa, é originária da Bacia do Paraná, conhecida também por piúva. O Ipê Rosa, é o primeiro dos Ipês da florar no Brasil, entre os meses de maio a agosto, dependendo do clima e região. Alguns governantes e técnicos adotam essa árvore como paisagismo urbano, ou seja, plantam essa espécie para que o ambiente urbano fique mais agradável, devido ao seu rápido desenvolvimento.

Perguntei ainda quais eram os locais que ele mais gostava de estar, ela disse que Furtado amava Peri-Mirim, mas os ambientes onde ele mais se encontrava ou era na escola, ou na igreja. Então, resolvi plantar a muda em frente à escola que leva o seu nome, localizada no povoado Tucunzal, contei um pouco da história do professor Furtado aos alunos, conversamos um pouco, fizemos uma dinâmica para alegrar os alunos, fiz a doação da biografia dele e da foto e convidei todos da escola para plantar comigo, da gestora à zeladora, e pedi a eles que tomassem conta dessa árvore tão linda e preciosa. Creio que este dia vai ficar na memória de todos.

Diêgo Nunes Boaes, Peri-Mirim, 09/03/2020.

Sala de aula Escola do Tucunzal
Todos abençoando a plantinha

PLANTIO SOLIDÁRIO: Ipê Roxo de Maria Isabel Martins Nunes

Texto de Eni Amorim

A árvore escolhida para representar minha patronesse Maria Isabel Martins Nunes foi o Ipê Roxo, pois, de acordo com o projeto Plantio Solidário “João de Deus Martins”, cada membro da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) deverá plantar uma árvore duradoura para homenagear o seu patrono.

O ipê roxo é a árvore “símbolo do Brasil” a árvore nacional é o pau-brasil que deu nome ao país. O ipê roxo (Handroanthus impetiginosus) é uma das árvores mais representativas da floresta brasileira, para os índios ela é chamada de “Árvore Divina”, pesquisadores acreditam que a árvore tem muito mais a oferecer do que apenas uma madeira forte e resistente é a segunda madeira mais cara só perdendo para o mogno.

A árvore foi escolhida por lembrar a fortaleza da minha bisavó e pelos poderes curativos por meio de sua intercessão em orações ou pelos remédios homeopáticos que produzia ou ensinava a fazer na comunidade e no Município.

Pelos meus conhecimentos de ambientalista, sei que as árvores não gostam de viver sozinhas,  por isso, plantei um companheiro para ela, outra muda de ipê roxo representando meu bisavô Domingos Nunes.

.