José Mariano da Silva

Patrono da Cadeira nº 15 da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP), ocupada por Maria Nasaré Silva. Nasceu no povoado São Raimundo em Peri-Mirim – MA, no dia  09 de julho de 1929. Filho de Claudino Hermógenes da Silva e Rosa Soares Silva e  faleceu em 26 de Janeiro de 2007.

Em 1953 casou-se no civil com Maria Amélia Nunes. E em 1969, aproximadamente, contraiu matrimônio religioso. Essa união abençoada por Deus e pelos homens foi responsável pela formação de uma família exemplar, servindo de modelo para todos que quiseram copiar tal exemplo.

José Silva, como era conhecido, teve nove filhos do primeiro casamento. Todos, valorosos, como o pai, exemplo de virtude, justiça e altruísmo.

Em 1970, viajou a Guimarães para formação de catequista. A mesma aconteceu sob a responsabilidade da paróquia São Sebastião de Peri-Mirim que, na época, já se encontrava sob o comando de Pe. Gerard.

Essa viagem durou muitos meses, mesmo assim, persistiu em sua capacitação e, adquiriu forças para continuar sua vida de estudos, nesse tempo, tão escassos. Por apenas duas vezes no período de formação, visitou sua família e, sua esposa, competente e responsável, com era, encarregou-se de cuidar dos filhos e de todo o resto que seu marido costumeiramente fazia.

José Silva desenvolveu muitas funções, foi lavrador, catequista, legionário (Legião de Maria), ministro da eucaristia, líder de comunidade, gerente de Cooperativa, entre outras. Com a chegada dos padres canadenses, em 15 de agosto 1962, a sua vida pessoal e profissional foi elevada a um bom nível de desenvolvimento econômico (para nossa realidade).

Além dos cursos feitos em Guimarães, José Silva participou de muitas outas capacitações pela vida afora. Exemplo disso foi que com seus quase sessenta anos de idade, cursou o magistério no colégio “Cenecista Agripino Marques”, na Sede de Peri-Mirim. O curso era noturno e ele saía de Santana, muitas vezes a pé, juntamente com sua esposa, Maria Amélia e alguns grandes amigos como, Sr. Pitota, D. Vitória, para assim, dar continuidade na evolução do seu conhecimento.

Após o falecimento de sua esposa, ele não desaminou da vida, continuou sua missão aqui na terra, celebrando os cultos dominicais em várias comunidades e, na sua própria.

José Silva decidiu casar-se novamente e, desse matrimônio, teve mais três filhos, os mesmos ficaram órfãos de pai ainda na tenra idade.

Deixe uma resposta