Criação Edna Jara

Academia Perimiriense promove campanha de Doação de Livros

Na nova metodologia adotada pelo Projeto Clube de Leitura da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP), os leitores escolherão as obras a serem lidas; nesse sentido, é necessário que se tenha um acervo de livros de literatura em geral, a fim de que possamos efetivar o empréstimo da obra, mediante compromisso de devolução em um prazo determinado. Considerando-se que no município de Peri-Mirim temos poucas opções de biblioteca, a Coordenadora do Projeto, Tatá Martins, resolveu pedir apoio aos acadêmicos e amigos para fazer uma Campanha de Doção de Livros.

Os pontos de coleta, inicialmente, são as residências das acadêmicas Tatá Martins; Giselia; Edna Jara; no Farol de Educação e Escola Municipal Cecília Botão.

Conforme informaram a coordenadora do Projeto, Tatá Martins e a presidente da Academia, Ana Creusa, espera-se muito desse Projeto, pois a leitura abre as portas do conhecimento, capacitando as pessoas a se desenvolverem de forma integral e assim contribuírem para o desenvolvimento pessoal e da comunidade na qual estão inseridos os leitores.

Arte da Campanha criação de Edna Jara. #A ALCAP somos todos nós.

Clube de Leitura da Academia Perimiriense realiza reunião

Em 8 de junho de 2022 às 19:00 horas pela plataforma Google meet deu-se início à reunião do clube da leitura João Garcia Furtado da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP).
Presentes:
Ana Creusa Martins, Ataniêta Martins, Eni Amorim, Ana Cléres Santos, Cleonice Martins, Diego Nunes, Jailson, Jessythannya Santos, Maria do Carmo, Giselia Pinheiro Martins, Alda Ribeiro e Adelaide Mendes.

A presidente da Academia Ana Creusa Martins agradeceu a presença de todos e falou que o projeto é “a menina dos olhos da Academia de Letras Ciências e Artes Perimiriense – ALCAP.” Enfatizou que sempre seremos leitores e falou sobre o livro aprendendo inteligência que será disponibilizado para o grupo para ajudar no empoderamento de novas perspectivas para a realização das atividades propostas pelo projeto clube da leitura. Também falou da importância de não impormos ao leitor o que ele deve ler, mas sim que deve deixá-lo escolher aquilo que gostaria de ler, pois só lê muito quem lê com prazer. Será uma forma inovadora e que exigirá muitas parcerias e bastante trabalho.

A gestora do programa Antonieta Santos fez uma apresentação que infelizmente não teve muito êxito devido alguns aspectos da internet, frisou a importância do Poder do trabalho em equipe “crescer sozinho é possível mas juntos é muito melhor” Frisou também que o clube de leitura será uma conquista coletiva entre a Academia e seus parceiros.

Eni Amorim, fez a leitura do projeto que tem como mentora a acadêmica Jessythannya Santos , uma iniciativa que deu frutos, onde anteriormente foram trabalhados três livros: O Pequeno Príncipe, O Mágico de Oz e Meu Pé de Laranja Lima.

O projeto traz em seu bojo uma pequena biografia do nosso ilustre contemporâneo. João Garcia Furtado, a justificativa do projeto, objetivos geral e específicos, público-alvo, metodologia, divulgação, entre outros.

Ana Creuza falou sobre a reunião da academia no final do mês.
A acadêmica Giselia Pinheiro Martins falou das dificuldades de quem não sabe ler, falou do projeto macro da SEMED e colocou à disponibilização do mesmo para ajudar no clube da leitura.

A confreira Alda Ribeiro, falou dos projetos da sua escola como o Banco do Saber e que sua escola abraça o projeto da Academia.
A confreira Jessythannya parabenizou a nova diretoria e se disponibilizou em ajudar a academia no que for possível e questionou a nova metodologia e análise da mesma.

Foi cogitado a inserção dos professores nas escolas como motivadores no projeto.
Ana Creuza ainda ressaltou que não pode haver espírito de concorrência entre os participantes.

Ataniêta solicitou os projetos da SEMED e da professora Alda Ribeiro, as duas se disponibilizaram em ajudar a coordenadora do projeto.

Adelaide falou sobre a importância do projeto para a comunidade e ainda compartilhou sua experiência como Educadora na escola em que trabalha.

Os acadêmicos Cleonice Martins, Diego Nunes e a amiga da Academia Ana Cléres Martins falaram que a metodologia do projeto é muito boa.

A coordenadora do projeto, Antonieta Santos concluiu a reunião falando da importância da leitura na vida das pessoa em todos os sentidos. Agradeceu a presença de todos e fez um apelo para fazermos o projeto acontecer e que seja um sucesso para a Academia e para a comunidade.

Sem nada mais a comunicar a reunião foi encerrada.

Peri-Mirim 08.Jun.2022

Eni Amorim
Secretária ALCAP

Jardim de Infância de Peri-Mirim visita ambiente ecológico na semana do Meio Ambiente

Em homenagem à Semana do Meio Ambiente, o Jardim de Infância O Pequeno Príncipe de Peri-Mirim visitou na manhã de hoje (03/06/2022) o Sítio Boa Vista, localizado no Povoado São Lourenço, distante 6 Km da sede do município, onde reside o casal Ana Cléres e Antônio Campos Sodré. A visita ocorreu sob a direção da professora  Célia Castro e promovida pela Secretaria Municipal de Educação.

As crianças participaram de várias atividades de vivências na área do sítio. O Sítio Boa Vista, além de guardar a história do tenente e herói da 2ª Guerra Floriano Mendes, ainda abriga várias espécies de plantas ornamentais, conhecidas como o Jardim de Ana Cléres, possui ainda várias espécies de árvores frutíferas; madeiras de lei como jatobá, cedro, mogno, ipês, Paricás e até o lendário Baobá. A criançada adorou.

Ana Cléres, que é gestora do Projeto Plantio Solidário da Academia de Letras, Ciências de Artes Perimiriense (ALCAP) demonstrou a sua satisfação ao receber as crianças em um dia ensolarado que exigiu resistência dos pequenos e muito amor de toda a equipe da escola que realizou várias atividades de vivência baseadas na experiência de campo.

Ana Cléres e seu esposo manifestaram sua gratidão pela presença ilustre do futuro do município, representado por crianças adoráveis. Despediram-se do grupo, com gratidão, deixando uma bela mensagem à equipe da Professora Célia Castro, que vai descrita abaixo:

Com o coração exultante de alegria quero agradecer a ilustre visita, em nosso sítio na Boa Vista, dos alunos e professoras e funcionários do Jardim de Infância Pequeno Príncipe. A visita se deu como trabalho interdisciplinar na semana do meio ambiente. Os alunos puderam conhecer, in loco, o trabalho para preservar o meio ambiente sustentável com atividades de cultivo de hortaliças e árvores frutíferas, bem como criação de pequenos animais, como galinhas, patos e paturis.

Tivemos o prazer de, neste dia, colocar em prática algumas ações do Projeto Plantio Solitário da Academia Perimiriense, do qual tenho o prazer de ser gestora.

Ficou acertado que, posteriormente, iremos realizar a permuta de mudas de espécies nativas da nossa região.

Nossa Gratidão pela confiança em nós depositada.

O casal de proprietários do sítio ficou impressionado ao assistir a tamanha competência e boa vontade demonstrada durante a visita ilustre dos alunos, professores e funcionários do Jardim Pequeno Príncipe ao sítio Boa Vista. Ficou acertado que, oportunamente, o Jardim de Infância será visitado por representantes do Projeto Plantio Solidário da ALCAP, a fim de proferir palestra e distribuir mudas de plantas. A amiga da Academia, Ducarmo, acompanhou e auxiliou em todas as atividades dos alunos.

Deixaram saudades, disse Ana Cléres, emocionada.

Academia de Peri-Mirim inova no Amigo Secreto de Natal

Depois do sucesso da  I Feira de Troca de Mudas, Sementes e Saberes que ocorreu durante a IV Ação de Graças na Jurema, promovida pela Família Santos, a Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) resolveu promover a troca de mudas de plantas durante a confraternização de Natal deste ano de 2021.

A brincadeira consiste na troca de mudas de plantas, ornamentais ou frutíferas, como presentes do Amigo Secreto entre confrades e amigos. Mais uma ação dentro Projeto Plantio Solidário “João de Deus Martins” mantido pela Academia.

Feira de Troca de Mudas, Sementes e Saberes na Ação de Graças na Jurema

A Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense  (ALCAP) participou da IV Ação de Graças na Jurema, dia 20 de novembro de 2021, durante o evento promoveu, por meio do Projeto Plantio Solidário, a primeira Edição da Feira de Troca de Mudas, Sementes e Saberes.

O objetivo da feira é preservar a biodiversidade, promover a educação ambiental e estimular a alimentação saudável e orgânica, que foi coordenada pro Jessythannya Santos. As mudas foram fornecidas pela UEMA, por meio do Prof. Dr. Gusmão Araújo e pela comunidade interessada na troca das mudas.

Além de mudas de hortaliças, legumes e vegetais, foram trocadas plantas ornamentais, como por exemplo, flores e cactos, bem como frutíferas e não-frutíferas, plantas medicinais, sementes e muito conhecimento. Contudo, por ser um evento gratuito e não possuir inscrição não foi registrada a quantidade de plantas disponíveis. Para participar, bastou levar uma muda e/ou sementes, para troca ou doação no local.

O evento deste ano não contou com a participação do engenheiro agrônomo ou outro especialista, Mas algumas orientações foram repassadas.

A feira, conforme relatou a coordenação, foi muito bem aceita pela comunidade, pois agregou conhecimentos sobre cultivo e ecologia, os quais foram compartilhados pelos participantes.

 

A Academia de Peri-Mirim entrega projetos ao Prefeito do município

A Academia de Letras Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP), entidade que atua na promoção da cultura, literatura, artes e ciência; de grande expressão na formação das pessoas, no interesse da comunidade perimiriense., entregou, por meio de Ofício dirigido ao Excelentíssimo Senhor Prefeito de Peri-Mirim, HELIÉZER DE JESUS SOARES, 04 (quatro) projetos, idealizados pela ALCAP,  para que sejam incluídos no Plano Plurianual e na Lei Orçamentária Anual do município, os projetos são os seguintes:

1) II Concurso Artístico e Literário “Prêmio ALCAP Naisa Amorim”, premiação de alunos da rede municipal, nas categorias Desenho, Poesia, Crônica e Escola Criativa, com o tema “Os valores essenciais para a construção de um mundo melhor”;

2)  Clube de Leitura “Professor João Garcia Furtado” é um projeto de incentivo à leitura, que objetiva fomentar a leitura na comunidade perimiriense como uma prática social, bem como contribuir para a formação de uma nova geração de leitores;

3) Festival ALCAP de Cultura é um grande encontro de manifestações culturais que surge com o objetivo promover um evento democrático de ampla participação popular que incentive a prática e vivência da cultura como expressão artística, contribuindo para a difusão cultural e o desenvolvimento regional por meio da cultura tradicional e

4) Plantio Solidário considerando a crescente degradação ambiental e poluição dos rios do município de Peri-Mirim, como forma de colaborar com a preservação do meio ambiente, o projeto busca atuar no plantio de árvores nativas em áreas de degradação ambiental e preservação das espécies ainda existentes.

Os referidos projetos também foram encaminhados aos secretários de Educação, GISELIA PINHEIRO MARTINS; de Administração, PAULO SÉRGIO CORRÊA; de Agricultura, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, LUÍS EDUARDO FRANÇA TUPINAMBÁ e de Cultura, FRANK WDSON DOS SANTOS.

A ALCAP sente-se honrada em colaborar com o Poder Público no interesse da comunidade perimiriense. A execução dos projetos contam com a mão de obra e expertise dos acadêmicos da entidade, necessitando apenas de pequeno aporte financeiro, para consecução dos seus objetivos. A ALCAP agradece a recepção dos projetos que se deu em clima de confiança mútua.

PLANTIO SOLIDÁRIO: Baobá de Maria Sodré

Por Cleonice

A Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) lançou no dia 29/02/2020 um projeto intitulado: Plantio SolidárioJoão de Deus Martins”. A primeira etapa do projeto prevê que cada membro da ALCAP deverá plantar uma árvore duradoura em homenagear ao seu patrono.

Para representar a patrona da Cadeira 09 da ALCAP, Maria José Campos Sodré Ferreira, foi escolhida a árvore Baobá (Adansonia digitata), cuja muda foi adquirida em São Paulo, pois, o único exemplar na Baixada Maranhense, que se tem notícia, está em São Vicente Férrer. Foi tentada, sem êxito, a germinação das sementes do Baobá pela equipe do Dr. Gusmão Araújo, professor do Curso de Agronomia da Universidade Estadual do Maranhão.

O baobá é uma árvore que fascina povos de todo o mundo, no Brasil ela tem uma forte relação com a religiosidade do povo, sobretudo o de matriz africana. É a árvore-símbolo do livro “O Pequeno Príncipe” que foi escolhido como a primeira obra do Projeto Clube de Leitura da ALCAP.

Maria Sodré deixou um grande legado de amor à natureza, inspirando seus descendentes como sua filha Sheila, seu filho Tozinho Sodré e  sua nora Ana Cléres, que se encarregou de cuidar da planta com amor e carinho.

A muda de baobá foi plantada no Sítio Boa Vista em Peri-Mirim, no dia 12 de março de 2021.  Estima-se que  daqui a 15 anos os primeiros frutos possam ser saboreados.

ATA DE DIPLOMAÇÃO DE HONRA AO MÉRITO CULTURAL PERIMIRIENSE, ANO 2021

Aos trinta dias do mês de junho, por meio da plataforma google meet, reuniram-se os acadêmicos da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) e convidados para a sessão solene de entrega de Diploma de Mérito Cultural concedido pela ALCAP. A reunião foi iniciada às dezenove horas e quinze minutos com as boas-vindas dadas pelo confrade e cerimonialista da ocasião, Venceslau Pereira Júnior que convidou as confreiras convidadas para compor a mesa, a Secretária de Educação de Peri-Mirim, Giselia Pinheiro Martins e representante do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, Ana Creusa Martins dos Santos. Logo após a presidente da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense – ALCAP, Eni do Rosário Pereira Amorim fez pronunciamento sobre o momento e a importância da diplomação de mérito cultural aos nossos conterrâneos que tanto contribuíram e contribuem para a valorização da nossa cultura, a mesma ainda declarou aberta a Sessão Solene de Diplomação de Mérito Cultural Perimiriense. O primeiro homenageado foi o confrade Carlos Pereira Oliveira que recebeu o diploma de honraria do confrade José Ribamar Martins Bordalo, ao término da homenagem, ambos se expressaram pela gratidão pela qual o confrade Carlos Pique representa para a cultura local. O segundo homenageado foi o senhor Adalberto França Coimbra, popular Galanchinho, que recebeu da confreira Ana Creusa Martins dos Santos o diploma de honraria do mérito cultural perimiriense, o homenageado se expressou agradecendo o privilégio de ser lembrado, escolhido e homenageado pela ALCAP. A terceira homenageada foi a professora Maria de Lourdes Campos que recebeu da confreira Giselia Pinheiro Martins o diploma de honraria do mérito cultural de Peri-Mirim, a professora homenageada agradeceu aos envolvidos pelo projeto e por ter sido escolhida para receber o mérito. O quarto homenageado foi o senhor Manoel de Jesus Campos, popular Santiago, que recebeu da confreira Elinalva de Jesus Campos o diploma de honraria do mérito cultural perimiriense, o homenageado expressou com forte gratidão a homenagem a ele concedida e encerrou sua fala com uma bela toada parabenizando a Academia de Letras Perimiriense. O quinto homenageado foi o senhor Rui Ribeiro Corrêa que recebeu do confrade Jailson de Jesus Alves Sousa o diploma de honraria do mérito cultural perimiriense, o homenageado agradeceu o feito da ALCAP em valorizar a cultura e desejou votos de estima a confraria. O sexto e último homenageado foi o saudoso José de Jesus Pereira Campos, eterno Zequinha de Deusdete ou  J. Campos, onde a confreira e presidente Eni do Rosário Pereira Amorim fez a leitura de honraria de mérito cultural por suas contribuições ao engrandecimento da cultura do município de Peri-Mirim, na ocasião o confrade Venceslau Pereira Júnior foi convidado a expressar um pouco sobre a vida do J. Campos, o confrade relatou o profissionalismo, companheirismo e dedicação daquele que em vida se chamou José de Jesus Pereira Campos, através de uma singela homenagem a um dos grandes ícones da cultura de nossa cidade. Em seguida, a presidente da ALCAP, Eni do Rosário Pereira Amorim fez o discurso de agradecimento, iniciando com uma pequena citação do Padre Antônio Vieira, e ainda falou acerca do respeito e valorização da tradição local e a importância da cultura para o crescimento da cidade. Relatou ainda sobre a finalidade do projeto que é de reconhecer alguns artistas da terra e a importância de tal evento em ser anualmente para que novos ícones da cultura perimiriense sejam homenageados. A sessão foi encerrada com os agradecimentos do cerimonialista, o confrade Venceslau Pereira Júnior aos convidados, no momento ainda tivemos uma pequena amostra de fotos de edições passadas que permanecem em nossa memória, apresentadas pelas confreiras: Jessythannya Carvalho dos Santos e Edna Jara Abreu Santos e, por fim, a confreira Elinalva de Jesus Campos fez a apresentação cultural envolvendo o confrade Carlos Pereira Oliveira e Santiago que apresentaram algumas de suas toadas e a confreira Maria Nasaré Silva que encerrou com uma paródia com o título Mãe Catirina. O evento encerrou às vinte e uma horas e trinta e seis minutos com a fala de agradecimento dos confrades envolvidos e dos participantes. Nada mais a tratar, eu, Diêgo Nunes Boaes, primeiro-secretário lavrei a presente Ata, que após lida e achada conforme será assinada por mim e pela presidente. Peri-Mirim, 30 de junho de 2021.

Mérito Cultural Perimiriense: Discurso da Presidente da ALCAP

Por Eni Amorim

Mais uma vez Saúdo a todos!

Inicio a minha fala parafraseando o Padre Antônio Vieira:

Para falar ao vento, bastam palavras. Para falar ao coração, são necessárias obras.

Hoje, nesta noite memorável, homenageamos com o diploma de Mérito Cultural Perimiriense, João de Deus Paz Botão, um dos ícones da cultura folclórica do município, um poeta que se inspirava na natureza, naquilo que vivia e assim traduzia em versos os objetos das suas inspirações.

O Diploma de Mérito Cultural Perimiriense é uma forma de a ALCAP reconhecer alguns artistas da terra, artistas criadores, que com suas obras, seus feitos, em um determinado momento da História falaram ao coração de Peri-Mirim encantando o povo do município e do Estado do Maranhão, fazendo o município brilhar lá fora.

Se olharmos para o passado, com os olhos do presente, veremos que temos muito a fazer no nosso quesito cultural.

A política cultural deve ser vista pela sociedade (e realizada pelos gestores da cidade) como um cardápio de iniciativas, de promoção, de desenvolvimento econômico.

A cultura gera renda, gera emprego, gera inclusão, gera desenvolvimento. Estes atores que a ALCAP reconheceu hoje pelo seu trabalho, sua dedicação e sua criatividade, ajudaram a construir a história da cidade através da promoção e apoio à adversas manifestações culturais.
A ideia da ALCAP é realizar um evento anual para homenagear pessoas envolvidas ou que já se envolveram na promoção e/ou apoio à manifestações culturais no município.

E para não me alongar mais, encerro a minha fala com a famosa frase de Walt Disney: “Ninguém faz nada sozinho”. Em nome da Academia, agradeço a todos os envolvidos para realização deste projeto, pois para chegarmos até aqui, tivemos o envolvimento de vários atores, para que esse momento se tornasse real.

A todos nossa gratidão!

Rui Ribeiro Corrêa

Rui Ribeiro Corrêa, nasce em  19 de novembro de 1967 no povoado Pericumã, Peri-Mirim-MA. Filho de Anastácio Florêncio Corrêa e Helena Ribeiro Corrêa. Pai de 07 filhos. Trabalhou por muito tempo com times de futebol. Sua inspiração pela cultura iniciou por intermédio da Dança do Urubu de Viana-MA, onde ele e seu time prestigiavam até a madrugada aguardando a tão esperada dança se apresentar.

Por esse fato, Rui teve a ideia de organizar uma dança indígena, mas por condições desfavoráveis à época o impediram de avançar nesse sonho. Então, ele assistindo um programa de TV viu uma belíssima dança se apresentar, em estilo country, se encantou. Resolveu, então, organizar uma dança country em Peri-Mirim, mas a ideia era um homem dançando com várias mulheres, porém, como a dança era uma inovação na cidade, logo se propagou e a procura foi grande, a comissão então resolveu montar os pares, surgindo a Dança Country Laço de Prata, surgindo no ano de 2005 e abrilhantando os arraiás da Baixada e da capital do Estado. O lema da dança sempre foi respeito, responsabilidade e união, este último era presente entre os componentes em todos os âmbitos, desde o futebol até as gincanas.

Como tinha uma dança laço de ouro em Ariquipá, Bequimão-MA, pensou em optar pelo brilho e os paetês suavam um brilho prateado, se destacando muito, resolveram batizar a dança com o nome Laço de Prata, para expor o objetivo da dança que era de brilhar nos arraias.

Atualmente, a dança tem o Reconhecimento de Utilidade Pública Estadual e Municipal, aprovada em 2010. No início os ensaios normais aconteciam na Unidade Escolar Carneiro de Freitas e o ensaio redondo acontecia no Clube Recreativo. Atualmente tem local próprio para ensaios e transporte próprio. Venceram um concurso de danças de Peri-Mirim e um em Pinheiro.

A dança sempre carregou um legado nos quesitos: respeito, responsabilidade e união, estavam juntos em todos os movimentos perimiriense. E o objetivo era valorizar a cultura de Peri-Mirim e envolver os jovens tirando-os da marginalidade.

Em 2021, o senhor Rui Ribeiro Corrêa, recebeu da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense- ALCAP a honraria Mérito Cultural Perimiriense, João de Deus Paz Botão, concedida pessoas da cidade, de forma a reconhecer a importância, o trabalho e a dedicação daqueles que constroem a história da cidade por meio da promoção e apoio a diversas manifestações folclóricas e culturais no Município de Peri-Mirim.