Diêgo Nunes Boaes

Ocupante da Cadeira nº 26, que tem como Patrono João Garcia Furtado. Filho único da relação entre Dulcilene Pereira Nunes e Júlio César Campos Boaes. Nasceu no dia 26 de abril de 1992, num domingo, dia em que seu avô materno, chegava de jogar futebol da cidade de Matinha-MA.

Sua mãe queria que seu nome fosse Wesley e naquela época seu avô materno, Domingos, era fã de Diego Maradona, e com a desculpa de não saber chamar Wesley, pediu a ela que o nomeasse Diêgo, em homenagem a um dos maiores jogadores de futebol daquela década. E assim foi. A sua mãe lhe teve ainda nova, na flor da juventude, aos 16 anos de idade, período onde seus avós acabavam de mudar-se para o centro da cidade, em busca de melhores condições de vida. Em todo esse tempo, até os dias atuais Diêgo reside em companhia de seus avós maternos. Isso resume o porquê de ele ser mais apegado aos familiares maternos.

Foi matriculado aos 3 anos de idade no Jardim de Infância o Pequeno Príncipe, aos 6 anos ingressou na Unidade Escolar Carneiro de Freitas, teve como professora durante os 4 anos Delcy Pereira Nunes (in memoriam), pela qual sempre teve muito carinho, dos 11 aos 14 anos de idade estudou no nível fundamental e dos 15 aos 17 anos no nível médio, ambos no Centro Educacional Artur Teixeira de Carvalho, antigo CEMA.

A história de Diêgo se resume em sonhos, desafios e fé, sempre conseguia o que queria, pois persistia em seus objetivos, desistir jamais, esse sempre foi o seu lema. Estudou por toda sua vida em escola pública, pois sua família nunca teve condições de colocá-lo em colégio particular. Mesmo assim sempre se dedicou aos estudos, nunca obteve notas vermelhas em seus boletins e no meio acadêmico nunca repetiu nenhuma cadeira na Universidade.

Graduado em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Maranhão- UFMA, pós-graduado em história e cultura afro-brasileira pela Faculdade Antônio Propício Aguiar Franco- FAPAF e pós-graduando em Gestão, Coordenação e Supervisão Escolar pela FAINTER.

Foi selecionado por meio do ENEM para o curso de Licenciatura em Ciências Humanas da UFMA, Campus de Pinheiro, fez um seletivo para a bolsa permanência e obtive êxito, era R$ 200,00 que ajudava nas xerox das apostilas e na compra dos lanches da noite. Morou por 2 anos, 2010 e 2012, em casa de família na cidade de Pinheiro, para não perder o curso, onde para ir estudar foi um grande sacrifício e uma barra em casa, pois seus avós não queriam que ele fosse morar em Pinheiro, mas com muita perseverança, conseguiu o apoio deles, e todos os fins de semana fazia esforços para ir vê-los e nos seus retornos a Pinheiro era sempre aquela choradeira.

No mês de maio de 2012, conseguiu aprovação em um seletivo para atendimento ao cliente pela CEMAR, na sua cidade natal, Peri-Mirim, era o que ele mais almejava, morar na sua cidade, junto de seus familiares, trabalhar e conseguir pagar um deslocamento para a faculdade, Peri-Mirim – Pinheiro.

Em 2013 adoeceu, apareceram algumas complicações, a depressão foi uma delas, era um medo de dormir que o atormentava, mas com muita fé e oração foi curado.

Sempre foi muito católico, de família religiosa, exercia diversos cargos na Igreja Católica: foi catequista por vários anos, Coordenador Geral da Pastoral da Juventude, vice-líder do Terço dos Homens, Coordenador do Grupo de Jovens, Presidente da Legião de Maria e Membro da Liturgia. Atualmente é membro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, a qual faz parte desde 2013. Nesse mesmo ano foi afastado do serviço por 06 meses, retornou com uma proposta salarial menor, trabalhou até janeiro de 2015 nessa opção. Nos momentos oportunos não parava, foi coordenador do Programa Mais Educação por 2 anos e Coordenador-Alfabetizador do Programa Brasil Alfabetizado.

Em 2016 surgiu uma promoção salarial melhor para ele em Pinheiro, onde exerceu por 04 meses, quando lhe propuseram uma contratação para ferista e em seguida volante, onde viajou muito, conheceu diversas cidades, pessoas, povoados, fez muitas amizades, sempre apegado com todos.

Atualmente está cursando uma outra pós-graduação, Gestão, Coordenação e Supervisão Escolar, pela Faculdade Interação- FAINTER, e está no atendimento CEMAR até os dias atuais, por sua formação, em História, nunca teve a oportunidade de lecionar, mas sempre é convidado pelas escolas para ajudar em projetos e dar palestras.

Diêgo significa conselheiro, é amigo. Se identifica com a simplicidade e humildade, gosta de ajudar o próximo, não lhe cansa de poder ajudar seus irmãos. Faz parte da história da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP), como primeiro-secretário e membro-fundador pela qual tem maior apreço e carinho por esta referida instituição.

6 Replies to “Diêgo Nunes Boaes”

  1. Pingback: Blog Detalhes

Deixe uma resposta